Conferência de imprensa 11 de Outubro 2010

Cumprindo-se um ano do que vai ser o último mandato do Eng. Jorge Barroso à frente do executivo da Câmara Municipal da Nazaré, impõe-se fazer um primeiro balanço ao desempenho de um órgão que é nesta altura unanimista e como noticia a Rádio Nazaré, bate recordes de reunião mais rápida, onde os pontos em discussão passaram a ter uma só cor – laranja.

Isto é o mesmo que dizer, todos os assuntos são aprovados por unanimidade. Não há discórdia, não há divergência, não há alternativa. Passados 12 meses das eleições, o projecto do Partido Social Democrata está em velocidade cruzeiro, patrocinado pelos 7 vereadores que pela primeira vez na história do Concelho se uniram num objectivo comum, numa mesma causa.

A estabilidade governativa pedida pelo presidente da Câmara aos Nazarenos nas eleições, é uma realidade indesmentível. Para lá da maioria, o Eng. Jorge Barroso chamou a si o apoio dos vereadores que representavam o Partido Socialista, que imediatamente tratou de lhes retirar a confiança política. Numa medida sem precedentes, em tempo de grave crise económica/financeira, decide remunerar mais três vereadores e aniquila completamente a discussão nas reuniões de Câmara. A unanimidade neste caso teve um custo bem definido – vários milhares de euros mensais.

Foi pois com estabilidade governativa que o PSD se propôs a concretizar projectos estruturantes assentes em três pilares:

  • Desenvolvimento Económico

Cabem aqui anunciados pelo Eng. Jorge Barroso:

  • Nazaré XXI
  •  
  • - Marina da Nazaré
  • - Projecto Turístico de S. Gião
  • - Casa das Artes e da Ciência
  • - Parque Verde Urbano
  • - Mar Sem Fronteiras
  •  

Em relação à Nazaré XXI pode ler-se no site da Nazaré Qualifica:

“Nazaré XXI motiva investimento em tempo de crise”.

            Em Março de 2009 declara o Eng. Jorge Barroso à Rádio Nazaré, “O interesse manifestado por este investidores reflecte a confiança na potencialidade de sucesso deste projecto, mesmo em contexto de acentuada crise económica internacional.”

            Passado um ano, não se vislumbra no terreno, um indício, uma pista, uma simples indicação que uma qualquer destas ilusões esteja para arrancar. O Presidente da Câmara iludiu a população nazarena quando afirmou enquanto candidato que os projectos estavam em “vias de ir para o terreno”, mensagem essa que ainda hoje pode ser lida na internet.

 

- Área de Localização Empresarial de Valado dos Frades (ALE)     

Todos os munícipes já devem ter passado em alguma altura neste ano que passou pela ALE. Todos puderam assim confirmar que as obras da Área de Localização empresarial de Valado dos Frades consistem de um cercado e pouco mais. Em visita, a Comissão do Partido Socialista, da urbanização dos lotes empresariais à zona desportiva, nomeadamente campo de futebol sintético, bancadas e balneários, apenas perspectivou descampado. Só em ilusão se pode conjecturar uma ALE no Valado. O Eng. Jorge Barroso continua a iludir aqui também a População Nazarena.

Na última reunião de Assembleia Municipal o Eng. Jorge Barroso afirmou que existe muita pressão para comprar na ALE. Esta afirmação contrasta claramente com o interesse que o concurso público da Área Empresarial suscitou, e é uma nota contrária ao clima de investimento mundial. O Presidente do Município prefere continuar a lançar ilusões aos munícipes, naquele que será um logro de oportunidade não só deste último mandato, mas da soma de mandatos que totalizará, tão antiga é a ideia da ALE.

 

  • Ligação Nazaré/Pederneira (teleférico)

            Não existe prova mais acabada que o Presidente da Câmara da Nazaré tem dotes de ilusionista. No dia 11 de Maio de 2009 em reunião com a população da Pederneira na antiga Casa da Câmara, anunciou o arranque das obras do teleférico. Faltou elucidar a população que o transporte colectivo se ficaria pelo arranque. Não vale a pena mencionar a deselegante manobra eleitoral de colocar uma grua no local da obra da gare inferior, para depois das eleições desaparecer qual passe de mágica. Ervas daninhas e mato são nesta altura tudo o que a população pode observar do teleférico. Onde pára a melhoria da acessibilidade? Onde ficou a atracção turística? Ilusão, pura ilusão.

            Para terminar a referência às obras impulsionadoras do desenvolvimento económico podemos pensar na requalificação do centro urbano onde o novo mercado municipal ou o parque subterrâneo da marginal são uma pura miragem.

É pois em ilusão que assenta o progresso económico que o Eng. Jorge Barroso prometeu a todos os nazarenos. Uma ilusão que se estende ao conhecimento, outro dos pilares em que assenta a estratégia Social-democrata para o Concelho.

 

  • Desenvolvimento do conhecimento

É bem verdade que a Nazaré Qualifica adquiriu 49% do capital social da “Nazaré

Forma”, empresa proprietária da Escola Profissional da Nazaré. Mas no que toca

aos projectos estruturantes estamos conversados.

O Centro Escolar da Nazaré esteve para ser inaugurado em 2009, poderá ser em 2010 e não está colocada de parte a abertura em 2011. O Centro Escolar de Valado dos Frades tem prometidas novidades para Janeiro próximo apesar da delegação do Partido Socialista ter verificado no local o evidente atraso da obra. No que toca ao Centro Escolar de Famalicão, a obra está completamente parada.

 

Ainda que o presidente da câmara remeta como fez na última reunião de Assembleia Municipal, a paragem das obras em Famalicão para o técnico especialista do governo, a verdade é que estes avanços e recuos, este arrancar e parar, ou estes prazos que se vão dilatando no tempo, nunca se percebendo até quando, não são senão uma mostra da inépcia, da falta de capacidade de projecção, financiamento e concretização das grandes bandeiras sociais-democratas para a Nazaré.  

 

O desenvolvimento do conhecimento tem assim passado um ano, o cenário que ficou descrito – ilusão.

 

 

Para completarmos os três pilares falta abordar o desenvolvimento social preconizado.

 

  • Desenvolvimento Social

O projecto de habitação a custos controlados de Fanhais está para lá da desolação. Na visita da comitiva Socialista foi possível constatar que a zona é em tudo semelhante a um baldio. As poucas infra-estruturas que já lá existiram estão degradadas devido ao abandono. Que dizer aos jovens casais do concelho que procurem adquirir habitação a custo controlado? É uma ilusão, uma miragem, uma impossibilidade.

 

O Hospital Israelita, bandeira eleitoral tão apregoada, unidade de saúde que asseguraria assistência gratuita na maternidade e no parto, descontos consideráveis nos serviços hospitalares a todos os nazarenos, que motivou a notícia da cedência do terreno e a alteração do PDM, está bem visível na Pederneira, mas na forma de ilusão. Mais um logro.

 

No site do Município pode ler-se, “a crise financeira mundial, apesar de grave, «não vai atrasar a construção porque o grupo tem capitais próprios».”.

 

Economia, Conhecimento, Social, assentes em completa estabilidade governativa resultam os pilares da estratégia Social - Democrata na Nazaré em:

 - Ilusão, ilusão, ilusão.

 

Mas importa também apontar as conquistas do Eng. Jorge Barroso, eventualmente até mais do que a política de ilusão que tem mantido. Num ano de mandato conseguiu o Presidente da Câmara da Nazaré:

 

- Aumentar exponencialmente o preço da água, assim como da taxa de resíduos sólidos;

 

- Despedimentos sem precedentes, com contratos de trabalhadores que acabam e não são renovados, apesar da sua manifesta necessidade. Há despedimentos sem indemnizações pagas, ao mesmo tempo que continuam as contratações para lugares de topo pagos a preços de ouro, como é exemplo o novo responsável das oficinas, medida que diz muito do trabalho que se propõe a desenvolver o vereador que assumiu a gestão do pessoal afecto às oficinas. Afinal os 13000 empregos prometidos serão a continuar assim, 13000 desempregos;

 

- Os trabalhadores queixam-se que o ambiente que se vive no edifício da Câmara Municipal é péssimo, nomeadamente no que toca à incerteza no pagamento de salários.

- Continua a ser evidente uma manifesta desorientação económica, nos últimos nove meses a divida da Câmara Municipal da Nazaré aumentou 3 milhões de euros.

A crise é um facto, abate-se sobre todos nós. Mas estávamos em plena crise no último acto eleitoral e o Eng. Jorge Barroso prometeu obras que iriam mudar a Nazaré como nós a conhecemos, onde estão essas obras?

 

A única mudança visível para todos os munícipes foi na equipa que o apoia.

 

Os pilares que suportam a estratégia Social/Democrata estão na mesma por cumprir, o que tornam a Nazaré uma Nazaré adiada.

Afirmou o Presidente da Câmara na última Assembleia Municipal “os grandes projectos não estão parados, estão adiados, foram prolongados no tempo”, está na altura do Eng. Jorge Barroso deixar de iludir os nazarenos e dizer quais os projectos que se vão concretizar e quando.

Está na altura de dizer a verdade aos concidadãos e assumir que o projecto do PSD está hipotecado, que o plano estratégico definido para 2015 que a seu tempo teremos oportunidade de discutir, está hipotecado, que o futuro do concelho da Nazaré e dos nazarenos está comprometido.

O Partido Socialista fará o acompanhamento de perto de todas as promessas que estão por cumprir, e a seu tempo proporá a todos os Nazarenos uma visão para o Concelho diferente, assente em premissas de verdade.

     

                Vivem-se tempos difíceis, de carência, de desafio, de superação. Por todo o mundo, toda a Europa, em Portugal, se fazem apelos a sacrifícios, a responsabilidade, a bom senso, a concertação, à procura conjunta de soluções.

                Na Nazaré, ao contrário do que todos preconizam, o executivo social - democrata escolheu não dialogar com o Partido Socialista. Escolheu não discutir pelouros e respectiva atribuição de responsabilidades. Preferiu esconder a verba atribuída a cada pelouro e não menos importante, está ainda por saber, o que foi prometido ao Partido Social Democrata por parte dos ex representantes do Partido Socialista no executivo Municipal.

                Assim, vive-se hoje na Nazaré uma situação impar na história do Concelho. Ao invés de uma maioria absoluta, temos pela primeira vez na nossa história, uma unanimidade consubstanciada em 7 vereadores remunerados. Na prática é uma afirmação muito clara que o Eng. Jorge Barroso faz ostensivamente para toda a População Nazarena, assinada por baixo pelos vereadores eleitos em listas do PS:

- Eu quero, posso e mando!

Facebook Connect